terça-feira, 26 de junho de 2012

Um Curso de Design de Permacultura Épico!


Depois de vários meses em gestação, é com uma ENORME satisfação que anunciamos a realização do primeiro Curso de Design de Permacultura em Paredes!

Os Professores
Convidámos os colegas André Vizinho, co-criador do Centro de Convergência e do movimento de Transição na Aldeia das Amoreiras, o Tiago Silva, co-fundador do movimento de Transição na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e do projecto Biovilla, a Annelieke van der Sluijs, "iniciadora do "Espaço no Botânico", iniciativa integrada nas actividades do Grupo Transição Coimbra e membro do Projecto Vida Desperta, o Capitão Luís, permacultor e fundador do defunto movimento de Transição em Rio Tinto (aprende-se mais com um falhanço do que com um sucesso!) e o Carlos Costa, da Quinta do Penedo que Fala, engenheiro electrotécnico e um dos melhores especialistas em auto-suficiência que conheço, para virem a Paredes colaborar na produção deste curso.

Curiosamente, o André e o Tiago Silva começaram a preparar o programa do curso como um exercício, durante o curso de professores de permacultura com a Rosemary Morrow, no Vale da Lama.


Um Curso de Design de Permacultura com Aspirações
Com uma equipa jovem, cheia de garra e vontade de mudar o Mundo, com percursos e experiências de vida variados, inúmeras acções de formação na área, muitos anos de experimentação no terreno, experiência combinada riquíssima na divulgação da permacultura, e que conta com alguns dos melhores comunicadores nesta área, temos receita para criar um Curso de Design de Permacultura com muuuita qualidade!
Só para terem uma ideia, logo na primeira reunião do grupo, concordámos que, se íamos organizar um curso de permacultura, teríamos que organizar O Curso de Design de Permacultura mais Completo de Portugal! (a expressão que utilizámos na altura foi: Tem que ser BRUTAL!)




A Annelieke van der Sluijs com o Ernst Götsch, durante o curso de agrofloresta, em Mangualde.


Um Curso de Design de Permacultura Dinâmico e Muito Prático
Este será um curso extremamente dinâmico, com uma fortíssima componente prática e de design.Para além das 72 horas que normalmente orientam um curso deste tipo, o Curso de Design de Permacultura de Paredes será recheado de workshops práticos, palestras e filmes nocturnos (as palestras e filmes nocturnos serão abertos à comunidade).

Workshops
Teremos workshops práticos sobre serrações portáteisbomba de aríete, fogão-foguete...
O André Vizinho apresentará, ainda, um workshop sobre Dragon Dreaming e outro sobre gestão de conflitos/comunicação não violenta.

Aqui sou eu, durante o curso sobre serrações portáteis que fiz com a Logosol, na Suécia. Este é um dos workshops que serão incluídos no curso.


Designdesign e mais design!
O bom design é tudo em permacultura! Os formandos trabalharão não num, mas em 5 designs: uma varanda, uma escola, um negócio, uma quinta... Sim, sim, dissemos que são cinco!

O Carlos, ajustando uma bomba de aríete, na "Quinta do Penedo que Fala", no Marco de Canavezes



Datas
O curso decorrerá entre o dia 1 e o dia 14 de Setembro.

Custos
O custo da participação no Curso de Design de Permacultura de Paredes será de 450€,com direito a participação em todas as actividades, alojamento nos moldes mencionados, todas as refeições, e oferta do livro“Permacultura Passo a Passo”, da australiana Rosemary Morrow, nossa professora no curso de professores de permacultura, no Vale da Lama.
A partir do dia 27 de Jullho, o custo da participação no Curso de Design de Permacultura será de 550€.
O pagamento poderá ser feito por transferência bancária para o NIB 0033 0000 4540 8581 5800 5 do BCP. Os participantes deverão transferir 50% do custo da sua participação no acto de inscrição, e poderão pagar o restante no primeiro dia do curso.
Porquê um Curso de Design de Permacultura tão caro?
Um curso mais completo implica mais custos. Depois de muitas contas, e mais contas, e ainda mais contas, chegámos à conclusão de que para podermos oferecer um Curso de Design de Permacultura com esta qualidade, o preço não poderia ser inferior ao valor anunciado.
As rubricas associadas à organização do curso incluem: alimentação, com pelo menos 4 refeições por dia, ao longo de 14 dias; pagamento de um valor mínimo aos vários formadores, organizadores e elementos de apoio; deslocações dos formadores; livro; água; luz; gás; combustível; comunicações; materiais de apoio pedagógico e de logística...
 Por outro lado, com mais formadores, o participante usufruirá da diversidade de abordagens e de uma maior dinâmica de equipa, e terá mais oportunidades para trabalho prático, que lhe permitirão aprofundar e processar melhor o que aprendeu em teoria.
Por outro lado, ainda, uma alimentação de qualidade e um bom estado anímico são essenciais para um bom processo de aprendizagem, de modo que também aqui teremos que primar pela excelência, e isso tem custos. 

Tudo ponderado, o formando sairá deste curso muito mais enriquecido e motivado, e dará o seu investimento por bem empregue.

Número Mínimo e Máximo de Participantes
O curso realizar-se-á se tivermos um número mínimo de 15 participantes, com um máximo de 20.

A quem se destina este Curso de Design de Permacultura?
Este curso terá particular interesse para qualquer pessoa que sente que vive num mundo em Transição, que deseja equipar-se com conhecimentos que lhe permitam acompanhar a mudança e prosperar com ela.
Este curso terá particular interesse para qualquer pessoa que contemple praticar a Permacultura em meio urbano, mudar-se para o campo, ou desejar aplicá-la no desenvolvimento de um negócio ou projecto.

O Capitão Luís, durante o curso de Agricultura Regenerativa, com o Darren Doherty

O Local de Ensino
Paredes. O curso irá decorrer na quinta do Projecto TerraVerde – uma quinta que esteve votada ao abandono durante 12 anos, e que, como tal, é uma tela em branco à espera de um design de Permacultura que oriente as intervenções futuras! – e na escola primária de Mouriz (mesmo, mesmo ao lado da quinta), espaço que nos foi disponibilizada pela Junta de Freguesia de Mouriz, Paredes, e que nos proporcionará excelentes condições para que o curso decorra da melhor forma.
Quinta e escola ficam muito próximos do centro de Paredes.


A quinta do Projecto TerraVerde

Alojamento
Os participantes poderão escolher entre acampar na quinta, no recreio da escola (sobre a erva, debaixo das muitas árvores que lá existem), ou poderão alojar-se na própria escola.
Deverão trazer tenda (se optarem por ou ponderarem dormir no exterior), saco-cama, toalha e produtos de higiene pessoal.

Alimentação
A alimentação será predominantemente vegetariana, confeccionada pela nossa colega Sandra Costa, da Quinta do Penedo que Fala, com alimentos predominantemente locais e biológicos, grande parte dos quais fornecidos pela quinta do Penedo que Fala e pelo projecto PROVE Paredes, em que participam os nossos colegas Rúben Carminé, Ana Riera e Alda Rosendo.
A Sandra a construir colmeias para as abelhas



Visitas
Será realizada uma visita à Quinta do Penedo que Fala, no Marco de Canavezes, onde o Carlos e a Sandra já há dois anos que fazem agricultura biológica e vêm implementando vários princípios de permacultura e técnicas de sustentabilidade.
Outras possibilidades de visita encontram-se, no momento, em análise.
As visitas realizar-se-ão nas viaturas de professores e participantes. Organizar-se-á um sistema de boleias.


A quinta do Penedo que Fala

Wi-Fi
Na escola e na quinta não existe Wi-Fi. No entanto, no Parque José Guilherme, fronteiro à Câmara Municipal de Paredes, no Parque da Cidade e na Casa da Cultura de Paredes existe Wi-Fi disponível.
Ao longo do curso, os participantes terão várias ocasiões para se deslocarem ao centro de Paredes (nomeadamente para assistir a filmes e palestras que serão abertos à comunidade), onde poderão usufruir deste serviço disponibilizado pelo Município de Paredes.

Participação Activa
Temos todo o interesse em que os participantes participem activamente neste curso, e sejam, também eles, transmissores de conhecimento. Com este propósito, incentivámo-lo/a a, no acto de inscrição, mencionar uma competência que ache relacionada com a área e que gostaria de transmitir aos seus colegas e professores, seja ela agricultura biológica ou biodinâmica, yoga, meditação,...

Actividades extra-curso
A área é pródiga em percursos para bicicleta de montanha, de modo que se lhe agrada a ideia, pode trazer a sua bicicleta e aproveitar para explorar um pouco antes do jantar. Poderão ser organizados passeios guiados.
A Junta de Freguesia de Mouriz disponibilizou-nos, ainda, o polidesportivo, de modo que se for do interesse dos participantes, poderemos realizar um jogo de futebol, etc...
Esperamos que apareça muita coisa interessante.

O que trazer
Traga-se a si próprio/a, tenda (se optar por ou ponderar dormir no exterior), saco-cama, toalha e produtos de higiene pessoal. Traga leitura sobre permacultura, sementes e, se desejar, traga, também as suas ferramentas. Traga, ainda, lápis e marcadores de cores, bloco de apontamentos e caderno de esboços! Não se esqueça do portátil e tire muitas fotografias!

Conhecer Paredes
Durante o curso, algumas actividades nocturnas (nomeadamente filmes e palestras) terão lugar na cidade de Paredes, pelo que os participantes terão a oportunidade de explorar a cidade e conhecer alguns dos elementos do movimento Paredes em Transição.

Mais informações serão disponibilizadas em breve!

Muito agradecemos o apoio da Junta de Freguesia de Mouriz, Paredes, que tornou este projecto possível.

A associação Paredes em Transição é um organismo sem fins lucrativos com o Número de Identificação Fiscal 509 724 612.

2 comentários:

  1. Miguel, falta colocar aqui o programa e o prolongamento do prazo com preço reduzido! :-)

    ResponderEliminar